Notícias

Conexão ABIMIP Nº 34 - 21/11/2018

Ásia e Américas na prática do autocuidado

Pelo mundo: acesso a MIPs fora das farmácias e bulas em mais de um alfabeto

Durante o Congresso da Associação Latino-Americana de Autocuidado Responsável (ILAR), realizado em outubro, em El Salvador, a ABIMIP e representantes de entidades do México, Argentina e Colômbia puderam comparar experiências e boas práticas em seus mercados. Mas como é esse trabalho em outras partes do mundo?

Um dos maiores mercados de promoção de autocuidado é os Estados Unidos. O conceito está tão consolidado entre os americanos que a Consumer Healthcare Products Association (CHPA) estima que 81% dos adultos recorrem primeiro aos medicamentos isentos de prescrição (MIPs) para tratar sintomas como dores de cabeça, má-digestão ou febre. Outro ponto que reflete a maturidade da população do país em colocar em prática a automedicação, de forma responsável e consciente, é a acessibilidade aos produtos: nos Estados Unidos, é possível encontrá-los facilmente em alguns pontos de venda, além das farmácias, por isso, os MIPs representam uma solução rápida e eficaz de tratamento para males menores.

Na Ásia existem três mercados principais: China, Coreia do Sul e Japão. A China Nonprescription Medicines Association (CNMA) foi fundada em 1988, e a primeira lista oficial de MIPs só foi oficializada em 1999. A Coreia do Sul tem uma das associações mais antigas e com mais membros – a Korea Pharmaceutical and Bio-Pharma Manufacturers Association (KPBMA) foi fundada em 1945 e conta hoje com 179 empresas associadas, inclusive relacionadas à biotecnologia. Uma das principais conquistas da Japan Self-Medication Industry (JSMI) foi a dedução fiscal para gastos com automedicação, implantada em 2017. Além do trabalho de divulgação de conteúdo relevante sobre MIPs, relacionamento com públicos e a orientação à população, comum aos três países, os associados japoneses também cuidam de logística reversa, distribuição, precificação e publicidade, com um diferencial: o trabalho de informar corretamente consumidores não-japoneses no país, fornecendo suporte ao idioma local – bulas e embalagens também podem vir com alfabeto romano.

Muito além do balcão: a importância do farmacêutico para os MIPs

Informar e orientar sobre o uso de medicamentos isentos de prescrição (MIPs) é uma tarefa que cabe não só à indústria farmacêutica e aos médicos como também aos farmacêuticos. Eles têm um papel fundamental no sistema de saúde, já que, muitas vezes, são os primeiros profissionais procurados porconsumidores na farmácia, sobretudo para tratar sintomas menores como dores de cabeça, má digestão ou resfriados.

O trabalho do farmacêutico vai além da indicação de MIPs e da sua orientação para uso correto. Ao estimular o bem-estar dos consumidores, treinar o pessoal não-farmacêutico e garantir que os protocolos de segurança para medicamentos sejam seguidos, seu papel está diretamente ligado aos pilares do autocuidado para a prevenção de doenças e promoção da saúde de forma adequada e responsável.

ABIMIP reúne GT de Comunicação para definir estratégia de 2019

No próximo dia 26, executivos de comunicação das empresas associadas convidados têm um compromisso na sede da ABIMIP. Os convidados conhecerão as metas que a entidade pretende trabalhar em 2019 e irão participar de um debate para definição do plano de comunicação para o próximo ano.

A agenda também inclui um bate-papo com a diretora do programa, Bem Estar, Patricia Carvalho, que falará sobre a atração da TV Globo e sobre como aproveitar melhor as oportunidades de visibilidade. As vagas são limitadas e a confirmação deve ser feita por e-mail (nivea@abimip.org.br) ou pelo telefone (11) 5102-3596.

Publicado em: 21 de novembro de 2018 às 12:11.
Imprimir
O que você procura?

Edifício Landmark - Av. das Nações Unidas, 12.399 - conjunto 71B - Brooklin Novo - São Paulo/SP, 04578-000 - Telefone: 55 11 5102-3596